Depreciação de imóveis: entenda como funciona
Maria Eduarda Silva dos Santos

Entenda de uma vez por todas o que é a depreciação de imóveis e como isso pode afetar a venda e locação do seu imóvel.

Você já deve ter ouvido alguém dizer que investir em imóveis é sinônimo de valorização. Afinal, as chances de um imóvel sofrer desvalorização são menores, se comparadas com investimentos na bolsa de valores, por exemplo. 

Contudo, não é bem assim que o mercado imobiliário funciona! Uma vez que, diversos fatores podem influenciar o valor de uma propriedade, levando a queda ou aumento da mesma. 

Aliás, falamos sobre isso recentemente em um artigo sobre avaliação de imóveis, leia-o por aqui: Preço de imóveis: como calcular corretamente? 

Pensando nisso, hoje explicaremos tudo o que você precisa saber sobre a depreciação de imóveis. Assim, você saberá como agregar valor a sua propriedade, quando for anunciá-la para venda ou locação. 

O que é a depreciação de um bem? 

Trata-se da perda de valor monetário de um bem por consequência do seu uso, desgaste ou redução da sua vida útil. Esse fenômeno pode acontecer com diversos bens materiais, sendo que os mais comuns são: imóveis e veículos.

Mas, é valido ressaltar que a desvalorização não acontece de uma hora para outra. Visto que, este é um processo que pode levar anos e diversos fatores podem influenciá-lo.

Por isso, a seguir detalharemos quais são os elementos que colaboram para a depreciação de imóveis no país. Vem com a gente!

Fatores que geram depreciação de imóveis

Estado de conservação do imóvel

Sem dúvidas, este é o fator mais gera desvalorização de imóveis atualmente. Pois, as pessoas têm cada vez com mais pressa para fechar uma negociação. Consequentemente, elas estão evitando adquirir propriedades em mau estado de conservação ou que demandem a realização de reformas. 

Por essa razão, é comum que muitos clientes perguntem aos corretores o ano de construção da propriedade. Dado que, essa informação está ligada diretamente com a necessidade de melhorias ou atualizações no imóvel.

Sendo assim, é essencial fazer a manutenção periódica dos imóveis para deixá-los mais modernos e atrativos aos olhos do público. Entre os itens que devem ser analisados pelos proprietários estão: 

  • Pintura interna e externa;
  • Instalações hidráulicas e elétricas;
  • Funcionamento de portas, janelas e portão;
  • Existência de infiltrações ou vazamentos nas paredes;
  • Limpeza da caixa d’água e calha;
  • Troca de revestimentos da cozinha e banheiros; 
  • Estado de conservação dos pisos; 
  • Dedetização de todos os ambientes; 
  • Se há alguma telha quebrada ou vazamento no teto;
  • Entre outros.

Lembrando que, é importantíssimo contar com a ajuda de profissionais qualificados para realizar os consertos necessários. Nosso setor de reparos pode ajudá-lo com essa questão, caso você alugue um imóvel conosco! 😉

Assim como, é interessante pensar na possibilidade de expandir algum cômodo da casa ou apartamento. Com o propósito de deixá-lo mais amplo ou criar um ambiente, como um escritório, por exemplo. 

Inclusive, publicamos um post sobre “Como montar um rotina de home office” que pode te inspirar neste quesito. Recomendamos a leitura dele após este artigo.

Dessa forma, atente-se aos pontos que mencionamos acima e que será muito mais fácil agregar valor a sua residência. 

Infraestrutura do imóvel 

Outra questão que também está ligada com a depreciação de imóveis, é a infraestrutura das propriedades. Ou seja, a forma como elas foram planejadas para atender as necessidades dos seus moradores. 

É evidente que a arquitetura dos projetos residenciais sofreu diversas mudanças, sendo marcada por estilos e tendências diferentes ao longo das décadas. Basta olhar os anúncios presentes em nosso site ou portais imobiliários para perceber isso. 

Em vista disso, projetos modernos se destacam muito mais no cenário atual. Posto que, as pessoas estão em busca de lares funcionais, isto é, que permitam a adaptação dos ambientes conforme a rotina e necessidade dos moradores. 

Neste vídeo, você pode ver um exemplo de como essas características podem estar presentes em um imóvel:

Além disso, residências pequenas ou que inviabilizam reformas podem contribuir para a depreciação de imóveis. Uma vez que, elas acabam limitando os planos dos residentes em aumentar a família ou adotar um bichinho de estimação, por exemplo. 

Por isso, é comum que propriedades com determinadas características tenham valores menores que a média do mercado. Tais como:

  • Ausência de garagem ou de vagas cobertas;
  • Poucos dormitórios e carência de suítes; 
  • Acabamentos de baixa qualidade;
  • Ambientes sem ventilação e mal iluminados;
  • E falta de itens de lazer, como quintal, piscina e espaço gourmet, por exemplo.

Além disso, a utilização de itens decorativos em excesso ou muito antigos podem levar a desvalorização dos imóveis. Dado que, eles dão personalidade aos ambientes, influenciando na imagem de lar que os clientes podem ter do local.

Portanto, sugerimos que se você está pensando em vender ou alugar o seu imóvel, opte por deixá-lo o mais neutro possível. Assim, as chances se surgem clientes interessados aumentam e possibilidade de depreciação é menor. 

Assista ao vídeo que produzimos sobre como preparar a sua casa para ser fotografada e receber visitas. 

Localização e vizinhança

Estes fatores estão intrinsecamente ligados a depreciação de imóveis e influenciam bastante a precificação de uma propriedade, seja para venda ou locação. Afinal, ninguém quer morar em um lugar perigoso, afastado dos centros comerciais ou que tenha vizinhos barulhentos. 

Isso fica mais evidente quando acompanhamos o crescimento das grandes cidades e as mudanças de hábitos dos brasileiros. Que estão buscando locais que oferecem mais de qualidade de vida e tranquilidade em cidades do interior, conhecido como êxodo urbano

Detalhamos melhor essa temática no post sobre “A evolução do mercado imobiliário no interior paulista”, que você pode ler depois. 

Sendo assim, imóveis posicionados em regiões nobres e que ficam perto do Centro da cidade, são muito mais procurados e valorizados. Uma vez que, estes lugares privilegiam a segurança e realização de tarefas domésticas dos moradores, como: compras de supermercado, idas à farmácia e consultas médicas, levar as crianças até a escola, entre outras.

Então, é importante considerar estes fatores na hora de escolher um imóvel, seja para moradia ou investimento. Deste modo, você evita sofrer com a depreciação de imóveis. 

Leia também os artigos abaixo relacionados ao assunto: 

Documentação irregular

Este é um dos fatores que mais contribui para a desvalorização de imóveis. Já que, no Brasil a maior parte dos processos jurídicos relacionados ao mercado imobiliário demanda muito tempo e dinheiro. 

Bem como, exige um número gigantesco de aprovações dos órgãos públicos, como cartórios e prefeituras. Logo, em muitos casos, todo esse processo costuma ser burocrático e demorado, fazendo com que donos de imóveis adiem o máximo possível os registros de suas propriedades.

Porém, isso acaba prejudicando bastante os corretores de imóveis e o crescimento mercadológico. Visto que, a falta ou irregularidades com a documentação impede que muitos negócios sejam concretizados.

(Fonte: Freepik)
(Fonte: Freepik)

Por essa razão, se você tem pressa em vender ou alugar a sua propriedade, não perca tempo regularize a documentação dela! Assim, você evita dores de cabeça e consegue comercializá-lo com mais rapidez! 

Tem alguma dúvida sobre quais documentos são necessários para vender ou alugar o seu imóvel? Deixe aqui nos comentários, pois em breve faremos um artigo falando sobre isso! 😉 

Valores altos e falta flexibilidade na negociação

Por último, mas não menos importante falaremos sobre como a concorrência e a inflexibilidade dos proprietários podem ocasionar na depreciação de imóveis. 

Como dissemos em artigos anteriores, é fundamental praticar preços justos e competitivos no mercado imobiliário. Porque, essa medida impede a inflação desenfreada de valores, mantêm as ofertas atrativas e evita que as propriedades fiquem paradas por anos. 

Posto isso, é muito importante ter a participação de um corretor de imóveis no processo de precificação. Afinal, ele possui a experiência e conhecimento necessário para chegar a uma avaliação adequada da sua residência, considerando até a situação atual do mercado e a concorrência. 

A propósito, recentemente produzimos um artigo debatendo sobre a importância do corretor de imóveis. Vale super a pena a leitura! 

No entanto, esse não é o único aspecto que pode auxiliar na desvalorização de imóveis. Pois, é preciso que o proprietário também esteja disposto a flexibilizar a negociação, seja através da aceitação de parcelamento dos valores ou permuta, por exemplo. 

A partir dessas informações, ficou evidente como funciona o processo de depreciação de imóveis. Assim como, o que você pode fazer para evitá-lo.  

Esperamos que este conteúdo tenha respondido as suas dúvidas e te ajude a valorizar o seu imóvel para venda ou locação. Além disso, conte o suporte das nossas equipes para anunciá-lo nos melhores canais de comunicação com muita praticidade. 

Fale conosco através da Central de Atendimento pelo WhatsApp (11) 95836-0388 ou (11) 2222-2868 e negocie o seu imóvel com a melhor imobiliária do interior paulista!  🏡🤝